Chargista é forçado a se retratar após irritar presidente do Equador com caricatura

  • Bonil, como é conhecido, foi o primeiro a ser punido pela lei de imprensa aprovada em junho passado
  • Jornalistas aprovaram nova legislação de “lei da mordaça”

O MUNDO

COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

Publicado:6/02/14 – 22h30

Abaixo da charge se lê: “Polícia e Promotoria revistam casa de Fernando Villavicencio e levam documentos de denúncias de corrupção”
Foto: Terceiro / Reprodução
Abaixo da charge se lê: “Polícia e Promotoria revistam casa de Fernando Villavicencio e levam documentos de denúncias de corrupção” Terceiro / Reprodução

QUITO – Quando preparava uma charge para a edição do “El Universo” de 28 de dezembro do ano passado, o caricaturista equatoriano Xavier Bonilla não imaginava que uma frase num desenho entre centenas que já publicou lhe custaria a ira do presidente Rafael Correa, um processo judicial e uma dura multa ao jornal. Bonil, como é conhecido, foi o primeiro a ser punido pela lei de imprensa aprovada em junho passado pelo governo equatoriano e apelidada de “lei da mordaça” pelos jornalistas. A sanção incluiu a obrigatoriedade de que Bonil publicasse uma retificação. Foi o que o cartunista fez quarta-feira, mas com uma charge que alimenta a polêmica – e no mesmo momento em que a ONG Comitê para a Proteção de Jornalistas colocou o Equador entre os 10 países do mundo que mais restringiram a liberdade de imprensa em 2013.

O desenho original mostrava personagens armados com fuzis que levavam caixas e eletrodomésticos de um apartamento, com a inscrição: “Polícia e Promotoria revistam casa de Fernando Villavicencio e levam documentos de denúncias de corrupção”. A charge fazia referência a uma operação realizada na casa do ex-sindicalista Fernando Villavicencio, assessor do deputado Cléver Jiménez, opositor do governo. Na época natalina, policiais invadiram a residência sem mandado e levaram quantidade indeterminada de documentos que teriam informação de e-mails interceptados do governo pelo ex-sindicalista.

Ver o tema tratado no “El Universo” irritou o presidente Correa, que desafiou Bonil a provar a afirmação. Em seguida, um órgão supervisor criado com a nova lei de comunicação sancionou o “El Universo” com uma multa de 2% de seu faturamento no último trimestre. O jornal prometeu pagar o valor, mas vai recorrer. A retificação da charge veio na quarta-feira: Bonil colocou flores em vez de fuzis nas mãos dos policiais. E a frase que provocou a revolta de Correa foi substituída por “Polícia e Promotoria revistam casa de Villavicencio e apreendem tablets, computadores, celulares”.

– Para mim, o caso acaba aqui – afirmou Bonil, que no início do mês disse que o processo era “um abuso de poder”.

Em 2012, antes da nova lei, Correa já processara o “El Universo” por difamação. “Quer dizer que é humor afirmar que foram realizadas revistas para apreender documentos sobre corrupção. (…) Acrescentem desenhos a uma difamação e deixará de ser difamação… quem pode aceitar tamanho disparate?”, escreveu o presidente no Twitter.

A interpretação de difamação citada por Correa constitui um dos principais pontos de polêmica para os jornalistas equatorianos. A lei de comunicação criou o conceito de “linchamento midiático”, que proíbe a difusão de informação que possa desprestigiar qualquer pessoa ou empresa. Os meios que descumprirem a norma podem ser obrigados a pedir desculpas públicas e pagar multas. Para os jornalistas, deixar essa avaliação nas mãos do governo limita a atividade da imprensa, especialmente em apurações de denúncias de corrupção.

Em Nova York, o Comitê para a Proteção de Jornalistas divulgou quinta-feira que o Equador “é uma das democracias onde o espaço de liberdade de expressão e imprensa independente está diminuindo rapidamente”. A lei de comunicação aprovada em junho é citada como a principal censora – e responsável por colocar o Equador no mesmo nível de repressão jornalística de países como Egito, Bangladesh, Síria, Vietnã, Libéria, Rússia, Turquia e Zâmbia.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/mundo/chargista-forcado-se-retratar-apos-irritar-presidente-do-equador-com-caricatura-11529036#ixzz2sgGrxtze
© 1996 – 2014. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Anuncios
Esta entrada fue publicada en Otros temas de interés. Guarda el enlace permanente.

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión / Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión / Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión / Cambiar )

Google+ photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google+. Cerrar sesión / Cambiar )

Conectando a %s